Associação Gaita-de-Foles A.P.E.D.G.F. APEDGF
Associação Portuguesa para o Estudo e Divulgação da Gaita-de-foles - Portuguese Bagpipe Society .'.
gaita - bagpipe - cornemuse - zampogna - dudelsack - bock - gaida - phìob - biniou - mezoued -zucra - duda - pipe - sackpipa
  Gaita-de-fole | Sócios | Actividades | Notícias | Escola | Comprar | Orquestra de Foles Documentos  | Contactos

« Principal « Um Mundo de Gaitas « Biniou Koz
Um Mundo de Gaitas
Gaitas de Fole de todo 
o Mundo...
História
Origens, expansão, diversidade...

Gaita-de-fole em Portugal
Distribuição, tipos, contextos...
Morfologia
O que é uma
Gaita-de-fole?...

  
  
 
  
Espaco.gif (821 bytes)
Espaco.gif (821 bytes)
Espaco.gif (821 bytes)
Espaco.gif (821 bytes)
Espaco.gif (821 bytes)
Espaco.gif (821 bytes)
Espaco.gif (821 bytes)

Biniou Koz
Bretanha Francesa


Exemplo de Biniou-Koz (foto: cortesia Oliver Seeler)

Bretanha Francesa

A principal peculiaridade do Biniou Koz está em ter a afinação mais aguda que se conhece numa gaita-de-fole. Actualmente constrói-se em várias tonalidades, que são, do mais agudo para o mais grave: Dó, Sib e Sol. Isto aparentemente é “normal”, mas tenha-se em consideração que a tónica Dó, por exemplo, equivale à segunda oitava de uma gaita galega, por exemplo. O modelo mais habitual é o de Si bemol. As partes que constituem esta gaita são o soprete, o fole, o bordão, (em duas partes, equipado com uma palheta simples); e o ponteiro (“Levriad”) de dimensão muito pequena - a ponto de os gaiteiros com os dedos mais volumosos serem incapazes de tocar o modelo mais agudo!- e que está equipado com uma palheta dupla de cana.

Duo de tocadores de Biniou-koz e Bombarda
(foto: cortesia J.L. Matte)

A escala é maior e diatónica, com extensão de uma oitava e sensível de meio tom. Toca em digitação aberta. Não há orifício agudo na parte traseira do ponteiro, pelo que a oitava se emite levantando o indicador da mão esquerda e mantendo tapados os cinco orifícios inferiores.
A madeira mais usual na sua construção é o buxo, sendo os anéis em corno e mais recentemente também em materiais plásticos. O fole é talhado e cosido em pele de carneiro ou vaca. Não costuma levar vestimenta.

Esta gaita não é habitualmente tocada a solo, mas sim em dueto com a inseparável Bombarda, um instrumento de sopro directo, semelhante a um ponteiro, também de palheta dupla e habitualmente afinado uma oitava abaixo do Biniou. O repertório é constituído principalmente por música de dança, tal como o “An-dro”, a “Gavotte”, a “Scottiche” e o “Bal Plinn”. Contudo, a dupla de músicos também atinge grande expressividade na execução de estilos lentos e quase recitativos como o “Gwerz” (“lamento”). Note-se que até inícios do século XX a companhia da caixa como percussão era relativamente comum, tendo caído em desuso.

Biniou-Koz (551kb)
Excerto de Biniou-koz e Bombarda.

O nome “Biniou-Koz” significa, em Bretão, “gaita-de-fole antiga” - sendo a “nova”, a Great Highland Bagpipe, importada para a Bretanha na segunda metade do século XX e hoje parte dominante das bandas de gaitas (“Bagad”) dessa região - que surgiram como resultado da influência das bandas militares britânicas aí estacionadas a partir de 1944, no final da II Guerra Mundial.




Associação Gaita de Foles, 2005 - Direitos Reservados


 


Início | Gaita-de-fole | Sócios | Actividades | Notícias | Escola de Gaitas |
Comprar | Orquestra de Foles | Documentos | Equipa | English  | Links | Contactos
Powered by RRMerlin

Associação Gaita de Foles - direitos reservados